quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Trinidad - Parte 1

A ilha de Trinidad é bem maior do que a de Tobago com 4.828 km² e muito mais populosa, com mais de um milhão de habitantes. Em sua maioria montanhosa com clima tropical é onde se concentram as principais atividades económicas do país. Mais de 40% da população é negra e outros tantos de origem hindu, segundo os guias. Aonde tenho andaddo me parece que contaram muitos negros por hindus. Os menos de 20% restantes são brancos, chineses, etc. Há muitos negros muçulmanos. A moeda local é o dólar de Trinidad & Tobago, popular TT (titi). São precisos 6,20 deles para comprar um americano.

O câmbio portanto nos é bastante favorável a razão de cerca de 3,4 $TT por real. Assim de maneira geral achamos tudo barato por aqui, como os alimentos nos mercados, em grande parte importados, a excessão de alguns itens que convertidos são mais caros como leite, chocolate, carnes (menos frango e peixe) e cerveja. Uma long neck de 275 ml de Carib, a mais popular, fabricada aqui, custa 10 $TT nos mercados. O litro da gasolina comum sai por 0,75 reais.

Vindo do norte para chegar a costa oeste de Trinidad, onde estão suas principais cidades, e adentrar o Golfo de Pária, passa-se pela Boca del Dragón um conjunto de ilhas de deixam passagens entre elas conhecidas também por Las Bocas. A mais utilizada é a Boca de Huevos, por onde entramos, mas tem ainda a Los Monos, a de Navios e a Grande. Chachacare é uma destas ilhas.

A região conhecida como Las Bocas

A Boca Los Monos a menor delas

Na terça-feira (28/12) cedo saímos da Ilha de Chacachacare para a Marina CrewsInn na Baía de Chaguaramas, cerca de 5 mn distante. Chaguaramas é uma baía bem protegida coalhada de marinas, estaleiros, shorebases de petroleiras, lojas, prestadores de serviço e barcos de todos os tipos e tamanhos, distante 10 km de Port of Spain, a capital do país. Na marina já estava o Temujin e logo, com indicação do Lúcio, alugamos um ar condicionado, a 50 US$ por duas semanas, de um prestador de serviço (Dymamite Marine), que em pouco tempo já estava instalado na gaiúta do salão. O calor nas horas de sol é muito forte e úmido, mesmo sendo inverno.

As marinas em Chaguaramas

A Marina CrewsInn

A área comercial da Marina CrewsInn

Na quarta estivemos visitando várias marinas e lojas náuticas pois após o Réveillon vamos subir o Guga Buy para reparos no leme e hélice. Mas vou falar em outro post sobre o centro náutico que é Chaguaramas. Na quinta fomos conhecer Port Of Spain. Pegamos um Maxi Táxi, uma van como as lotações de algumas cidades brasileiras, na estrada geral em frente a marina por 5 $TT. Uma cidade a beira-mar, sem praias centrais, com cerca de 150 mil habitantes em toda sua região metropolitana e pouco verticalizada.

Ponto inicial de Maxi Táxi em Port of Spain

Charlotte Street no centro de Port of Spain

Na segunda-feira (03/01) deixamos a CrewsInn e fomos para uma vaga molhada da PowerBoats onde o Guga Buy será retirado da água na terça-feira. Almoçamos novamente no restaurante italiano Joe's, na Marina Coral Cove, com a tripulação do Flyer. Num lugar de comida ruim procure um restaurante italiano...

Entardecer na Baía de Chaguaramas

Clip da Marina CrewsInn aqui

Um comentário:

artiva disse...

Que fotos lindas Bel !! Adoro os teus relatos, são objetivos e ao mesmo tempo dá prá viajar junto...
Obrigada pelo teu tempo !
Beijão.