sábado, 15 de outubro de 2011

Voltando Pra Casa - Parte 1

Chegamos no Tinguá, no cais D da Marina Bracuhy, por volta de 19:30h depois do vôo da Azul (Floripa-Campinas-Rio) e o bus da Costa Verde, do Rio até a entrada da marina. Na terça-feira (11/10) pela manhã desencapamos o Tinguá, trocamos óleo e filtros do motor, água no tanque e zarpamos da Marina antes das 14:00h. Fomos direto a Marina Piratas, no centro de Angra, para fazer mercado, velejando num SSW de 16 nós na Baía da Ribeira. No final da tarde ancoramos na Praia do Vitorino, na Ilha da Jipóia onde pernoitamos.


Luciano e as compras de mercado, na Marina Piratas (Foto:Giovani Dal Grande)

Na quarta cedo fomos até a Marina 1, no fundo da Baía da Ribeira, para abastecer com diesel Verana e para o Giovani e Luciano conhecerem. No retorno ancoramos em Itanhangá para almoçar e aguardar os veleiros Aquaviva (com Nei, Jorge e Saul) e Parangolé (com Beto Larsen), também do ICSC-VI para retornarmos juntos a Floripa. Aproveitamos para limpar o fundo do Tinguá. A água estava a 30º C.

Tinguá no posto flutuante da Marina 1

No inicio da tarde partimos os três veleiros para a Ilha da Cotia velejando numa orça apertada no SW de 14-17 nós. Na Cotia pernoitamos amadrinhados.O Giovani Dal Grande é o atual Diretor de Cruzeiro do ICSC e Eu o vice-presidente da ABVC para Santa Catarina, então na conversa à noite no cockpit começamos a desenvolver a idéia de fazermos um cruzeiro entre Floripa e o Bracuhy para incentivarmos os nossos colegas cruzeiristas a fazerem como nós e trazerem seus veleiros para a região da Baía da Ilha Grande no inverno. O clima do inverno no sul nos limita muito para cruzeirar. O deste ano então foi especialmente frio e chuvoso. Sairíamos de Floripa em tempo de participar do Encontro Nacional da ABVC e retornaríamos em outubro ou novembro como estamos fazendo agora. A idéia ganhou até o apelido de "Mané Cruzer".


 
Nei, na Cotia, escutando o jogo do Avai no "radinho" (Foto:Luciano Pacheco)

Saímos da Cotia às 6:45h, orçamos até contornarmos a Ponta da Juatinga com um mar baixo mas um pouco desencontrado e vento de 10-12 nós. Mais tarde na altura da Ponta Negra, com o vento já na casa dos 8 nós, de popa, cruzamos com os veleiros do Cruzeiro Costa dos Tamoios, da ABVC. Nos dirigimos para a Praia de Picinguaba, com o vento tendo rondado 180º e crescido um pouco de intensidade. Ancoramos na aprazível Picinguaba onde preparamos nosso almoço.

Picinguaba, no litoral norte de São Paulo
 
Continuamos no inicio da tarde, o Aquaviva e o Parangolé direto para a Ilha Anchieta, a 22 mn dali, e nós fomos antes conhecer o ancoradouro da Ilha das Couves. Chegando na ilha fomos cercados por dezenas de golfinhos que " brincaram"  por bons 20 minutos ao redor do Tinguá. Muito lindo. Chegamos na Anchieta por volta das 17h e nossos companheiros preferiram ir pernoitar no Saco da Ribeira. Lá ancorei próximo a Praia da Ribeira, no meio de muitas poitas, com os outros dois amadrinhados. Saul e Giovani prepararam um gostoso carreteiro de charque e calabresa, acompanhado de bons vinhos e cerveja.


video
 Vídeo dos golfinhos na Ilha das Couves


Participantes da edição piloto do "Mané Cruzer" reunidos no Tinguá

Os companheiros sairam antes direto para Ilhabela, nós fomos até a Baía das Palmas, na Ilha Anchieta, e depois navegamos na Enseada da Fortaleza antes de rumar para Ilhabela. Logo ao passar pela Ilha do Mar Virado entrou um SW com rajadas acima dos 20 nós. Pegamos um ângulo e seguimos numa orça apertada. Este passou rápido em cerca de uma hora. Quando já estávamos próximos da Ponta das Canas o SW retornou. Velejando chegamos a proteção da Praia da Armação onde ancoramos para preparar o almoço. Depois de uma rápida sesta seguimos, com SW de 13-14 nós e rajadas até 19, direto para o posto de combustível, nom Pier dos Pescadores, para abastecermos os tanques de diesel e água. Em seguida pegamos uma poita no Iate Clube de Santos (ICS), clube conveniado com o nosso. Depois de um bom banho fomos passear na Vila com direito a café no Ponto das Letras, pizza e sorvete no Rocha.

 Enseada de Santa Teresa, na sempre linda Ilhabela (Foto:Luciano Pacheco)


Com as previsões nada favoráveis iniciamos as discussões sobre a continuação da viagem. Ao final mesmo com as previsões de algum SW e muita chuva decidimos sair no dia seguinte (15/10) cedo, eles direto para Santos, onde poderíamos deixar os barcos bem protegidos no pier do ICS. Nós resolvemos sair em direção a Ilha da Queimada Grande para sentir as condições de seguir viagem ou não. Depois de sair do Canal de São sebastião velejamos por três horas numa orça apertada com  vento E de 13-15 nós e rajadas de mais de 20. As rajadas foram ficando mais raras e o vento rondando para SE, até vir de proa com 12-14 nós. Tudo com muita chuva e mar pequeno. Depois de poucas horas com vento na proa avaliamos que não seria nada "agradável" fazermos mais de 200 mn apartir da Queimada Grande com ventos na "cara" de até 15 nós. Alteramos o rumo para Santos onde chegamos às 19:20h.

 Orçando no rumo de Santos
   
Em menos de um minuto decidimos que deveríamos deixar os barcos no ICS e retornarmos mais tarde com previsão favorável, pois até dia 21-22 teremos ventos de S e SE. Estamos em outubro e as frentes frias continuam longas...Compramos as passagens na internet, preparamos uma janta coletiva e amanhã rumo a Floripa by bus.

Tinguá na sede Guarujá, do ICS


Veja mais imagens em www.picasaweb.google.com/lflbeltrao/angra2011
Video dos golfinhos no YouTube aqui.

Nenhum comentário: